sábado, 19 de novembro de 2011

O padre corrompido pelo tesão

Hoje me lembrei do belo "irmão" Guido, homem generoso de boa fé descendente de italiano. A primeira vez que nos vimos foi constrangedor para ambos, foi numa manhã de sábado, lembro-me que na sexta à noite, tinha ido a uma festa de despedida de uma amiga que estava de partida para outra região. Na manhã de sábado sem noção de que minha mãe estava com visitas e como eramos só nós duas na época, acordei e semi nua fui diretamente na cozinha beber água, estava só de calcinha. Minha mãe sempre gostou de plantas especialmente as medicinais, está aí o motivo do silencio e ausencia de terceiros, ela estava mostrando o seu pequeno jardim, pois o irmão tinha o mesmo interesse por plantas. Eu tinha acabado de beber quando o irmão Guido entrou na cozinha de repente, me assustei lógico, e ele tambem, ele pediu desculpas e virou enquanto isso corri de volta para o quarto envergonhada não pela forma física do meu corpo, sempre tive prazer das minhas curvas bem feitas, e pensando no homem alto, bonito de olhos azuis, logo em seguida minha mãe apareceu e perguntei para ela com quem ela conversava. Dias depois fomos apresentados, percebi que ele não havia esquecido do episódio, muito menos eu, ele não comentou o ocorrido mesmo assim pude perceber o quanto ele se incomodava com minha presença, fui conquistando-o aos poucos agindo com naturalidade, na época achava que estava apaixonada pelo padre, meus pensamentos eróticos eram com ele, me masturbava fantasiando beijos e sexo com aquele homem.
Passei a frequentar a missa aos domingos, sempre procurando estar perto, as vezes fazia questão de esbarrar, tocar meu braço no braço dele, encarar aqueles olhos lindos e quando sozinha, como de costume me masturbava.
Tem continuação.......

2 comentários:

  1. Heresia travestida de tesão...
    Mulher pecadora...
    Te amoooooooooooooooooo porra...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. hummmmm... estou a gostar ;)

    bj doce

    ResponderExcluir